Camelos

``Eu quero me apossar do é da coisa`` Clarice L.

Friday, July 07, 2006

A insustentável leveza do ser



















- muss es sein - continuando - para sofia.

Anna saiu correndo descendo a ladeira daonde estava sem saber exatamente que caminho iria tomar, a única coisa que realmente queria era se afastar o máximo daquela casa. Seguiu firme até se deparar com uma ruazinha conhecida onde morava uma amiga. Sem pensar duas vezes, aproximou-se do prédio e tocou o interfone.

Luiza tinha um cabelo curto e cachinhos. Olhes bem profundos e densos. Abraçou o desespero da amiga e beijou seus lábios salgados.

- O que houve?
- Estou indo embora.

Sem perguntar mais nada Luiza entrou em casa depressa e logo retornou com um livro nas mãos.

- Leva.

Alguns minutos mais tarde, num ônibus qualquer, Anna se perguntava se a amiga havia entendido o que ela havia dito. Disse que ia embora. Como assim? Nem ela mesmo compreendia. Agarrou o livro sobre o peito e fechou os olhos. Não tinha medo.

3 Comments:

  • At 08 July, 2006, Anonymous sofiorprsaoiasjkldasokdas said…

    ahhhhhhhhh!!!

    foda foda foda foda!!!

    primeiro de tudo, amei voce ter continuado! =P

    segundo de tudo (???), to apaixonada por essa personagem juba. agora cê num vai mais poder parar!!!
    de fato, acho que o primeiro me encantou mais... mas deve ter sido por ter sido o primeiro. talvez tambem por nao ter nomes. dai o personagem fica mais livre.
    continuaaaaaa!!! pronde ela vai? q q tem no livro?!??!?! ahhhhhh!


    foda juba!

    FODA!

     
  • At 08 July, 2006, Anonymous Anonymous said…

    "she knew there were conditions under which she could feel srong and fulfilled, and she longed to go off into the world and seek those conditions somewhere else. actually, she had always prefered the unreal to the real.
    she was not all sure she was doing the right thing, but she was sure she was doing what she wanted to do."


    the unbeareble lightness of being

    milan kundera

     
  • At 08 July, 2006, Anonymous Karla said…

    Concordo com a Sofia... a falta de nome nos permite colocar qualquer um naquela situação. Mas já que ganhou nome, que tal descrever esses personagens... e onde ela está agora ? O que se passa na cabeça dele nesse momento ?

    Muitos beijos Juba..

     

Post a Comment

<< Home